quinta-feira, 4 de junho de 2009

Berlim - 1º dia - 31.05.09, domingo

Oi Pessoal
Finalmente consigo escrever sobre nossa viagem a Berlim.

É tanta informação que dividirei a postagem em três de forma que fique mais fácil a exposição das informações bem como o seu entendimento.
Saímos da Itália no dia 31.05.09 e ficamos em Berlim até 02.06.09
Passados alguns dias do regresso, esta cidade para mim ainda é de difícil definição.
É imensa, tem uma mistura de pessoas que ainda trazem as marcas da divisão dos lados Oriental e Ocidental.
Os prédios na sua grande maioria reconstruídos depois na II Guerra Mundial pois foram completamente destruídos e isto inclui o Parlamento e a Porta de Brandenburgo, só para citar dois destes.
Há muita vergonha pelas atrocidades feitas com os judeus e as vítimas do Muro de Berlim. Isto é claramente visto nos memoriais existentes e nos que estão ainda em construção como o do Muro que está sendo feito onde ainda tem um pedaço deste.
O povo de Berlim mantém o orgulho e o respeito as tradições. São pessoas fechadas, sem muito sorriso no rosto mas muito solícitas.
Berlim é sem dúvida uma cidade ícone na Alemanha e também na Europa, principalmente pelo contexto histórico em que está inserida.

Mas comecemos a explanação do primeiro dia de nossa viagem - 31.05.09
Viagem de brasileiro na Europa tem que ser em companhia low cost.
Esta condição por si só já daria assunto para uma postagem pois realmente a viagem tem um custo mais baixo mas os horários sempre são os mais estranhos e os aeroportos os mais distantes dos grandes centros.
No nosso caso, saímos de Bergamo uma cidade distante de Milão uns 50 km.
A bagagem não pode ultrapassar a 15 kg e o check in já está pronto quando se compra a passagem.
Na hora do embarque é um empurra, empurra.

Os que querem prioridade de acesso também podem tê-la basta, pagar para tanto.
Só para informá-los, este não era o nosso caso :)


Bom, chegando ao avião, o número que consta na folha de embarque é meramente ilustrativo pois quem chega primeiro escolhe os lugares.

Outra correria é na hora de sentar. Mas com muita paciência e um pouco de sorte, tudo dá certo.
Uma hora e meia depois da decolagem, chegamos a Berlim onde o tempo era nublado.
Logo após nos deparamos com uma verdadeira maratona para chegar ao centro da cidade pois a exemplo da Itália este vôo low cost nos deixa num aeroporto onde Judas perdeu as meias.
Pega-se um ônibus, um metrô e um trem e chega-se ao apartamento que tínhamos alugado.
Muito bom, espaçoso, muito bem iluminado e localizado próximo a Unter den Linden, a Porta de Brandenburger. Não distante do Parlamento, do Sony Center e do Check Point Charlie.
A primeira grande emoção foi visitar o Memorial ao Holocausto que ficava na esquina do apartamento.
A visão é de arrepiar. Até os menos sensitivos ficam vários minutos a observar.
Eu, evidentemente saí de lá com o nariz vermelho e arrepiada ao ver as dezenas de blocos de concreto simbolizando as pessoas que perderam a vida nos terríveis campos de concentração.
Ao ver esta cena me veio a mente uma mensagem que está escrita na entrada de um campo de concentração na Alemanha e que diz mais ou menos o seguinte: Conhecer o passado é uma forma de não repeti-lo.
Logo após a visita ao memorial, fomos a Porta de Brandenburgo que é um dos emblemas de Berlim.
Esta porta triunfal foi construída no estilo neoclássico no projeto de Carl Gotthard Langhans, possui doze colunas dóricas de estilo grego.

Sobre o arco está a quadriga - estátua da deusa grega Irene - deusa da paz, em uma biga puxada por quatro cavalos. Originalmente a quadriga estava com sua frente voltada para a parte oeste de Berlim, de costas para a Pariser Platz, mas os soviéticos fizeram a inversão, ficando sua face voltada para leste que era a parte oriental de Berlim.
Esta porta tornou-se no pós guerra no símbolo da divisão da cidade, pois foi de um palanque construído a sua frente que John F. Kennedy proferiu a famosa frase: “Ich bin ein Berliner” – eu sou um habitante de Berlim.
A título de informação, após o término da II Guerra Mundial, Berlim foi dividida em quatro setores: o americano, o Frances, o britânico e o soviético.
E aí a história, como sempre, se encarrega de ser traçada pelos interesses dos poderosos.
Mas isto não faz parte deste blog.

Dando seguimento ao nosso passeio, vem o Parlamento que mescla a modernidade de sua cúpula num prédio histórico.
Imponência, é a palavra a ser usada neste local.
É permitida a visitação sem nenhum custo. Saímos do primeiro piso e fomos direto a cúpula que é de vidro tendo em seu interior uma estrutura de 360 espelhos que projetam a luz natural grande responsável pela economia de energia do prédio. Esta sala tem adicionalmente uma abertura que força a entrada e saída do ar de maneira que a umidade e temperatura fiquem controladas.
Bom chega de tanta explanação histórica.

Era chegada a hora de almoçar.
O horário é bem conhecido dos viajantes, almoçamos mais ou menos lá pelas 4h da tarde.
Depois disto foi passear um pouco mais nas ruas, se perder, se achar e ir para casa, tomar um banho e se preparar para o próximo dia.
A agenda seria: o que restou do muro, o memorial que está em construção, o Sony Center e muito mais.
Vejam abaixo mais fotos desta viagem a Berlim no seu primeiro dia (31.05.09):
http://picasaweb.google.com.br/celia.luiz/310509Berlim#

Posted by Picasa

Um comentário:

  1. Arrepia só de olhar as fotos... imagino como é pessoalmente :(

    ResponderExcluir